Monday, June 22, 2015

Terapia Craniosacral

A pessoa deveria estar se desejando feliz aniversário, mas não, tá aqui postando sobre um troço completamente esquisito num post totalmente sem propósito.

Então, feliz aniversário pra mim. Ganhei um ano, porque achava que estava fazendo 39, quando é na verdade 38. Não faz diferença, porque continuo encafifada com esse anos. Não vi o tempo passar e não me sinto com esse monte de anos nas costas. Juro que minha cabeça acha que tô com 28 (ou menos).

Mas o corpo... olha, nem são os 20kg a mais não. Claro que eles contribuem, mas é tanta dor nas juntas que, caracoles, acho que tô com 69! E daí que eu achei que deveria fazer alguma coisa a respeito. Mas cadê tempo? Tempo pra me exercitar é depois das 22h, mas aí eu tô morta e com zero força de vontade. De manhã? Acordo às 6 normalmente, então teria que acordar às 5h e vixe, também vontade zero. Hora de almoço? Não tenho hora de almoço, porque saio cedo pra buscar as meninas. Marido companheiro e mãe parceira que ficam com as meninas pra eu poder cuidar de mim?! HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Enfim... voltando ao título. Eis que às 8 da manhã de sábado, marido ficar com as meninas (ele já ficava, mas eu dormia) pra fazer essa tal de terapia craniosacral. Alguém conhece? Parece piada o nome, né?

Fiz três sessões e não sei o que dizer. Eu sou meio blasé pra certas coisas, e ter alguém segurando minha cabeça e dizendo "hmmmmm, dá pra sentir que seu joelho tá travado" ou "é, seu lado direito tá bem traumatizado do seu primeiro parto" é meio demais pra minha cabeça. A moça cismou que minhas dores nos quadris são traumas do parto, como se meu corpo tivesse dizendo isso pra ela. Ok, pode até ser, né? Mas na minha cabeça, não é só isso. É o peso da idade, é o excesso de peso, são dois partos, carregar criança no colo, não fazer exercício há milênios, substituir o pouco que eu andava por carro, ficar o dia inteiro sentada na cadeira numa posição tosca, não ter a mínima consciência de postura, ser mega ansiosa, o acidente de carro há 10 anos, todos os outros problemas de bem antes disso... a questão é que adoro qualquer tipo de massagem, mesmo essa craniosacral, que não é bem massagem. E se a mulher tá me dizendo que o problema é X, vambora tratar dele. Mal não deve fazer, né? Ela trabalhou bastante as juntas dos quadris nas duas últimas sessões - eu estava com muita muita dor e tá dando uma melhorada. Fiz três sessões e faltam mais três. Ela não prometeu cura milagrosa, mas pelo que entendi, esse tratamento é o início do processo de "melhora". Quem quiser saber mais, achei esse site em português aqui, que tem até videozinho. Confesso que o conceito era tão abstrato que, depois de ler em inglês, catei o site em português pra ver se eu tinha entendido mesmo a teoria do negócio. Quem for entendido do assunto e quiser deixar comentário, agradeço.

1 comment:

Uuuuh, so you decided to comment, huh? Well done!