Friday, December 13, 2013

Silêncio

Sei lá o que aconteceu que consegui me enrolar tanto que não to dando conta de nada.

Ok, sei o que aconteceu. Duas crianças saudaveis e ativas aconteceram. E uma viagem meio trabalhosa de organizar. E uma pequena obra também. E uma crise mega blaster de alergia (minha). E a mais velha doente. E a mais nova sofrendo nova crise de insonia.

O que aconteceu nessa semana ou duas de silêncio? Continuo na dieta e até agora foram 10kg eliminados. Ainda faltam 3kg pra eliminar todo o peso extra da 1a gravidez. Não vai rolar de perder antes de sair de férias em janeiro, mas você há de concordar que 10kg tá bem bom, né? Mas malhar que é bom, necas. Só pago academia.

A viagem ao Brasil está tomando formas interessantes. Um amigão nosso vai se juntar a nós por uma semana em Salvador e depois mais uma no Rio. Impressionante como uma pequena alteração nos planos se transforma num trabalhão. Mas acho que hoje resolvi a última pendência. Ou não.

E finalmente a obra do "jardim de inverno" daqui acabou. Quer dizer, faltam "detalhes", tipo a pintura, que sou eu quem vai fazer. Sim, a pessoa não tem mais o que fazer, né? Sei lá, já gastamos TANTO dinheiro nesse troço que resolvi economizar agora. E já que vamos pintar de branco, qual é a dificuldade? E é uma sala de brincar, né? O que pode dar errado? Torcida, por favor!

No mais, a vida segue. Ando tão desorganizada que nem foto da mini-pituca (ou da maxi-pituca) eu tô tirando. A menina completou 7 meses no dia 10 e nem uma foto de celular teve. Passo o dia inteiro atrás dela, porque a menina é um projeto de kamikaze. Ela se joga da cama, fica em pé sozinha e do nada larga o apoio e se estabaca no chão. Até conseguiu puxar um negócio que estava na cadeira e a cadeira caiu em cima dela (onde estava a mãe dessa menina?! Tirando outro objeto perigoso de perto dela). Aqui é assim: piscou, se acidentou. E como tive uma crise violenta de alergia, dando mil espirros por minuto, ando com os olhos sempre fechados (alguém consegue espirrar de olho aberto?). O caos, companheiros, o caos.

Mesmo diante da zona do dia a dia, consigo achar duas horas por semana pra socializar com pessoas aleatórias que não viram minhas amigas, mas me divertem (de maneira positiva ou negativa). E no meio desse bando de gente aleatória, seleciono uma ou outra que vale a pena investir (ou elas me selecionam? Ou nos selecionamos?). Nessa, meu povo, acho que tenho algumas pessoas novas que podem virar amigas. Uhuuu. E nem todas envolvem crianças. Uhuu 2. Senão vejamos: uma é uma Romena gente finíssima que conheci na creche da Laura. Casada com Romeno. Casal fofo com uma filha adoravelmente fofa, simpática, linda e super amiga da minha filha. Também da creche vem um casal Escocês-Espanhol com uma filha também apaixonante e também amiga da minha menina. E o mundo pequeno fez com que o marido - Espanhol - trabalhe na empresa do marido de uma menina que conheci há três anos mas perdi contato. Depois vem uma menina da Latvia que conheci no curso de massagem pra bebês. Sabe um grupo que voce acha que não vai dar em nada? Mas daí rola o clique com a única não-Britânica do grupo (além de mim) e você faz o que? Troca telefones, mensagens, marca um encontro e passa 5 horas batendo papo. Ah, casada com um Italiano. Mãe de uma menininha 1 mês e meio mais nova que minha Bia. Depois vem uma Escocesa (Escoceses são tão amáveis e simpáticos - todo mundo deveria ter um amigo escocês) que conheci no curso de "culinária" e continuamos nos falando depois do fim do curso. Não conheço o marido dela, mas a filha, 1 mês mais velha que Bia, é uma doçura. E tem a Turca com dois filhos - um da idade da Laura, que pode ser que vá estudar na mesma escola dela, e outro da idade da Bia. Por fim, vem a moça que dá aula de artesanato no mesmo lugar onde fiz o curso de culinária. Ela é da Croácia, lugar onde pretendemos ir no verão. Nenhum filho envolvido aqui - ela tem dois, a mais nova tem 14 anos. Ela é casada com um britânico, acho eu. O grande problema dessas amizades é que esse povo pode resolver voltar pra "casa" ou procurar outra casa. E a gente vai ficando... mas tudo bem, né? Significa que a gente passa a ter amigos em outros países. Acho que um dos grandes motivos de eu não ter me afundado nessa licença maternidade (além de ter a filha mais risonha da "minha" vida) é conhecer essas pessoas tão diversas e tão interessantes. E olha eu escrevendo o maior parágrafo do mundo...

E vamos terminar o post aqui, pra evitar mais um post escrito e nunca publicado.

Beijo no coração de vocês tudo.


2 comments:

  1. Que bom que está tudo bem!!!

    ReplyDelete
  2. E eeeuuuuu! xD
    Quero encontrar vcs de novo, quando vc pode?

    Bjssss

    ReplyDelete

Uuuuh, so you decided to comment, huh? Well done!